Voltar

27/02/2018 10:31

Controle de escorpiões em Bragança será intensificado

 

A fim de ampliar as ações de controle dos escorpiões no município, a Prefeitura da Estância de Bragança Paulista, por meio da Secretaria Municipal de Saúde e Divisão de Vigilância Epidemiológica e Controle de Doenças, intensifica o trabalho direcionado nesse segmento e alerta a população quanto aos cuidados que devem ser tomados, além de recomendações importantes.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

 

Como constatado, os bairros com maior incidência dos aracnídeos são o Centro, Vila Aparecida, Santa Luzia e Residencial dos Lagos, onde as ações de controle e orientação são redobradas. As espécies encontradas na região são o Escorpião Amarelo (tityus serrulatus) e Escorpião Marrom ou Preto (tityus bahiensis).

 

 

 

Em 2017, a Administração Municipal, por meio dos agentes de combate às endemias, realizou mais de 10 mil visitas em diversos bairros da cidade. Entre janeiro e fevereiro deste ano, com o foco nas ações de controle, a Secretaria de Saúde já procedeu com 6039 visitas em 23 bairros da cidade.

 

 

 

A intensificação será nas visitas casa a casa, em locais de ocorrências e nas áreas onde houve notificações da presença do animal. Os profissionais da Vigilância Epidemiológica também estão passando por treinamentos para realizarem a captura dos escorpiões. É importante que a população se atente para as recomendações.

 

 

 

O Manual de Controle dos Escorpiões do Ministério da Saúde afirma que os escorpiões são animais terrestres, de atividade noturna, ocultando-se durante o dia em locais com terra, sombreados e úmidos, troncos de árvores, pedras, tijolos, construções, frestas de muros, lajes e túmulos, entre outros. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, as espécies comuns na cidade estão bem adaptadas ao ambiente urbano, onde seu principal alimento é a barata, dessa forma a população deve se conscientizar para evitar acúmulos de resíduos.

 

 

 

Os cuidados que devem ser tomados são: examinar roupas (inclusive as de cama), calçados, toalhas de banho e de rosto, pano de chão e tapetes antes de usar; usar luvas de raspa de couro ou similar e calçados fechados durante o manuseio de materiais de construção, transporte de lenha, madeira e pedras em geral; manter os berços e camas afastados, no mínimo 10 cm, das paredes e evitar que mosquiteiros e roupas de cama esbarrem no chão; tomar cuidado especial ao encostar-se em locais escuros e úmidos e com presença de baratas.

 

 

 

Entre as precauções a serem tomadas estão: manter quintais e jardins limpos; acondicionar o lixo doméstico de forma correta; não jogar lixo em terrenos baldios; evitar a formação de ambientes favoráveis ao abrigo de escorpiões; manter fossas, soleiras de portas, ralos, pontos de energia devidamente vedados; rebocar paredes e muros para evitar frestas. Na área interna, as recomendações são rebocar paredes para que não apresentem vãos ou frestas, vedar soleiras, reparar rodapés soltos, telar as aberturas dos ralos, pias ou tanques, telar aberturas de ventilação de porões e manter assoalhos calafetados e manter todos os pontos de energia e telefone devidamente vedados.

 

 

 

Caso encontre algum escorpião, o Ministério da Saúde orienta a, se for possível, capturar o animal, levá-lo ao serviço de saúde e ligar para a Divisão de Vigilância Epidemiológica que é a responsável pela fiscalização. Em caso de acidentes a pessoa deve limpar o local da picada com água e sabão e procurar, imediatamente, orientação médica. O telefone da Divisão de Vigilância Epidemiológica é (11) 4035-4191/ 4035-1595/4034-4144.

 

Dicas para evitar ataques de escorpião
 

Da Redação com informações provenientes da DIMP/BP

 


← Voltar