Voltar

10/01/2018 19:20

Prefeitura continua com ações para controle de escorpiões na cidade

A Prefeitura da Estância de Bragança Paulista, por meio da Secretaria Municipal de Saúde e Divisão de Vigilância Epidemiológica e Controle de Doenças, faz um balanço sobre os escorpiões na cidade, as ações realizadas pela Administração Municipal e os cuidados que devem ser tomados.

Foram registrados em Bragança Paulista, pelo Sistema de Informação de Agravos de Notificação – Sinan, de 2013 a 2017, 387 casos de picadas de escorpiões, sendo a maior ocorrência em 2016 com 93 notificações. Os bairros com maior incidência dos aracnídeos são o Centro, Vila Aparecida, Santa Luzia e Residencial dos Lagos, onde as ações de controle e orientação são redobradas. As espécies encontradas na região são o Escorpião Amarelo (tityus serrulatus) e Escorpião Marrom ou Preto (tityus bahiensis).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ao longo de 2017, a Administração Municipal, por meio dos agentes de saúde, realizou mais de 10 mil visitas em 26 bairros da cidade, dentre eles as Planejadas 1 e 2, Parque Brasil, Parque dos Estados, Vila Mota, Vista Alegre, Jardim São Miguel, entre outros. Nos primeiros dias do ano, a Secretaria de Saúde já procedeu com 1304 visitas em 10 bairros da cidade.

O Manual de Controle dos Escorpiões do Ministério da Saúde afirma que os escorpiões são animais terrestres, de atividade noturna, ocultando-se durante o dia em locais com terra, sombreados e úmidos, troncos de árvores, pedras, tijolos, construções, frestas de muros, lajes e túmulos, entre outros. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, as espécies comuns na cidade estão bem adaptadas ao ambiente urbano, onde seu principal alimento é a barata, dessa forma a população deve se conscientizar para evitar acúmulos de resíduos.

Os cuidados que devem ser tomados são: examinar roupas (inclusive as de cama), calçados, toalhas de banho e de rosto, pano de chão e tapetes antes de usar; usar luvas de raspa de couro ou similar e calçados fechados durante o manuseio de materiais de construção, transporte de lenha, madeira e pedras em geral; manter os berços e camas afastados, no mínimo 10 cm, das paredes e evitar que mosquiteiros e roupas de cama esbarrem no chão; tomar cuidado especial ao encostar-se em locais escuros e úmidos e com presença de baratas.

Entre as precauções a serem tomadas estão: manter quintais e jardins limpos; acondicionar o lixo doméstico de forma correta; não jogar lixo em terrenos baldios; evitar a formação de ambientes favoráveis ao abrigo de escorpiões; manter fossas, soleiras de portas, ralos, pontos de energia devidamente vedados; rebocar paredes e muros para evitar frestas.

Caso encontre algum escorpião, o Ministério da Saúde orienta que se for possível, capturar o animal e levá-lo ao serviço de saúde e ligar para a Divisão de Vigilância Epidemiológica que é a responsável pela fiscalização. Em caso de acidentes escorpiônicos a pessoa deve limpar o local com água e sabão e procurar, imediatamente, orientação médica. O telefone da Divisão de Vigilância Epidemiológica é (11) 4035-4191/ 4035-1595/4034-4144.

Dimp


← Voltar